#VC21   #CycleDiversity   #Velocity2021

Cidades de 15 minutos: está na hora?

Blog Cidades de 15 minutos: está na hora?
Cada vez mais cidades em todo o mundo estão desejosas de adotar o conceito de cidade de 15 minutos, teorizado pelo Professor Carlos Moreno. Um fenómeno que tem vindo a ser crescente pelas consequências da pandemia da COVID-19. Chegou agora o momento de passar da teoria à prática.
Será que as horas passadas em engarrafamentos de trânsito são uma realidade que em breve ficará apenas na memória? As cidades de 15 minutos chamaram a atenção internacional no ano passado quando a Presidente da Câmara de Paris, Anne Hidalgo, fez da "ville du quart d'heure" um ponto focal da sua campanha de reeleição. Para além de Paris, muitas cidades em todo o mundo já experimentaram este conceito: Melbourne, Ottawa, Copenhaga, e Nantes, apenas para citar algumas. Mas o que é exatamente uma cidade de 15 minutos? 

O conceito da cidade de 15 minutos foi teorizado em 2014 por Carlos Moreno, cientista e professor na Universidade de Paris 1. A ideia é melhorar os aspetos positivos da vida urbana tornando o trabalho, a educação, a mercearia, a saúde e a cultura acessíveis a uma distância de 15 minutos, a pé ou de bicicleta, de casa. Esta abordagem muda o ritmo da cidade e da vida urbana: os cidadãos têm mais tempo para si próprios e para os outros. Há seis anos, muitos viam esta teoria como utópica, criticando a dificuldade de se viver perto do local de trabalho. Mas a pandemia perturbou as nossas vidas, incluindo os hábitos de trabalho, dando-nos a oportunidade de pensar sobre a cidade de amanhã e passar da teoria à prática. 

Passar de cidades do tamanho de automóveis para cidades do tamanho de seres humanos requer vontade política. Embora as autoridades devam tomar decisões políticas fortes, não há necessidade de as tornar caras, argumenta o cientista franco-colombiano. Trata-se de fazer um melhor uso dos recursos existentes e escondidos da cidade, e assim criar um "big bang de proximidade". Em termos práticos, significa que as escolas poderiam ser utilizadas como centros comunitários à noite e durante os fins-de-semana, e que os cafés poderiam acolher aulas de línguas, por exemplo.



"Porque temos de ser nós a adaptar e potencialmente a deteriorar a nossa qualidade de vida? Porque é que a cidade não está a responder às nossas necessidades"? pergunta o Professor Moreno.

Quatro princípios estão na base da cidade de 15 minutos: ecologia, solidariedade, proximidade e participação da sociedade civil, com os bens comuns como pilar coletivo. Os bens comuns urbanos e a partilha de recursos são uma forma de evitar a gentrificação e estratificação urbana, dois problemas crescentes da vida urbana moderna. E como diz Moreno: "Podemos falar de uma ecologia humanista, ou seja, de novas políticas urbanas que defendam não só o ambiente - qualidade do ar e da água, natureza, menores emissões de carbono - mas também desenvolver um novo modelo económico para as cidades, com ênfase nas empresas de bairro, tecnologias digitais, um novo equilíbrio de trabalho, que terá um impacto social contribuindo para mais convívio, e menos racismo e intolerância".

Estará Lisboa no bom caminho para se tornar uma cidade de 15 minutos?

Nos últimos anos, a cidade anfitriã da Velo-city 2021, Lisboa, tem demonstrado forte vontade e esforço em conduzir a cidade para uma vida urbana mais verde e de dimensão humana. A cidade construiu mais de 150 km de ciclovias com a promessa de chegar aos 200 km até ao final de 2021. Um sistema de partilha de bicicletas e e-bike complementa as aspirações de Lisboa para se tornar uma verdadeira cidade amiga da bicicleta.  Ao assumir o espaço automóvel, o seu programa "Uma Praça em Cada Bairro" aumentou consideravelmente o número das suas áreas verdes e espaços públicos de qualidade, tornando a cidade mais amiga dos passeios. Além disso, desde 2008, a cidade assegura-se de que os seus cidadãos estão envolvidos no processo de tomada de decisões através de um orçamento participativo. Não admira que Lisboa tenha sido galardoada com o título de Capital Verde Europeia 2020!



Saiba mais sobre o conceito de cidade de 15 minutos na Velo-city 2021 pelo Professor Carlos Moreno, nas sessões seguintes:

2.2: Repensar as Cidades: Recuperar espaço para as pessoas 
5.2: Criar espaço para andar a pé e de bicicleta
6.3: Da cidade de 15 minutos ao renascimento do bairro

Confira aqui todo o programa: Programa - Velo-city 2021 Lisboa
Registe-se aqui na conferência: Individual - Velo-city 2021 Lisboa

Por Adèle Saingenest
20 de Maio de 2021

Source
http://www.moreno-web.net/wordpress/wp-content/uploads/2020/12/bem-estar_emdestaque.pdf