#VC21   #CycleDiversity   #Velocity2021
cycle diversity
LISBOA 6-9 SETEMBRO 2021

De que forma andar de bicicleta pode mitigar as alterações climáticas?

Blog De que forma andar de bicicleta pode mitigar as alterações climáticas?
Independentemente da cidade ou país em que vivemos, um facto do qual podemos ter a certeza é que não haverá um Planeta B a que possamos chamar casa. Como pode então o ciclismo ajudar a atenuar da crise climática?
Independentemente da cidade ou país em que vivemos, um facto do qual podemos ter a certeza é que não haverá um Planeta B a que possamos chamar casa. A ausência de esforço conjunto levará a um aumento das temperaturas globais para além dos 3°C, o que por sua vez afetará irreversivelmente todos os ecossistemas existentes. Tomar medidas urgentes para enfrentar o aquecimento global já não é, portanto, uma opção.

De acordo com o Relatório Climático do IPCC da Organização das Nações Unidas, enfrentámos entre 2010 e 2019 os anos mais quentes de sempre. A maioria dos cientistas defende que um "desastre global" já está a manifestar-se nos pólos da Terra, enquanto alguns países já estão a sofrer graves impactos das alterações climáticas, desde desastres naturais até à escassez de alimentos e água. A questão é: Que papel pode o ciclismo desempenhar na mitigação da crise climática?



A bicicleta aparenta ser a chave para a construção da resiliência nas cidades, mudando os padrões de comportamento de viagem, bem como proporcionando estilos de vida mais saudáveis e melhor qualidade do ar. Na verdade, a bicicleta não emite qualquer tipo de gás com efeito de estufa, enquanto que o seu custo e as infraestruturas associados são mais baratos do que qualquer tipo de veículo automóvel. Andar de bicicleta para a escola, para o trabalho ou para qualquer outro lugar só vai exigir a nossa força de pernas, ao mesmo tempo que vai ajudar consideravelmente a reduzir a nossa pegada ecológica. A mobilidade em bicicleta revela-se uma excelente medida a adotar e a expandir nas nossas cidades, que irá ajudar a mitigar os efeitos das alterações climáticas, ao mesmo tempo que melhora a qualidade de vida de cada cidadão.



A crise climática é uma questão complexa e global, que envolve assuntos económicos, sociais e políticos. Trabalhar para soluções sustentáveis exigirá uma resposta mundialmente coordenada, bem como esforços locais de países, regiões e cidades. Embora a União Europeia pretenda reduzir em 90% as suas emissões de gases com efeito de estufa relacionados com os transportes até 2050, a maioria dos países em desenvolvimento está a desenvolver ações para formular e implementar Planos Nacionais de Adaptação. De facto, em 2019, 120 países em desenvolvimento (de 153) estavam a trabalhar no sentido de melhorar a sua adaptação e resiliência climática através destes planos nacionais, onde a bicicleta terá certamente um papel a desempenhar também.

As alterações climáticas estão agora a afetar todos os países do mundo, e está nas nossas mãos a mudança necessária. Vamos escolher andar de bicicleta em vez de usar os nossos carros, e vamos contribuir para um futuro mais sustentável!


Por Rita Silva
29 dezembro 2020