#VC21   #CycleDiversity   #Velocity2021
cycle diversity
LISBOA 1-4 JUNE 2021

O aumento da mobilidade clicável face ao COVID-19 é real? Os números dizem que sim!

Blog O aumento da mobilidade clicável face ao COVID-19 é real? Os números dizem que sim!
Na sequência da crise da COVID-19, um número crescente de autoridades nacionais, regionais e locais na Europa focaram-se na bicicleta como uma solução de mobilidade que aborda, simultaneamente, questões ligadas à saúde pública, ao ambiente, e ao congestionamento, entre outras. No dashboard das medidas de mobilidade ciclável da ECF COVID-19, seguimos mais de 2.300 km de medidas anunciadas sobre infraestruturas, mais de 1.000 km já implementadas, e mais de mil milhões de euros de financiamento atribuídos em toda a Europa. Mas serão estas medidas e investimentos justificados? Será que as pessoas andaram realmente a pedalar mais durante os últimos meses? De acordo com um crescente conjunto de dados e evidências provenientes de diferentes fontes, a resposta é um claro sim.
 
  • Para a sua popular aplicação Google Maps, o Google acompanhou o número de pedidos de direções de ciclismo em todo o mundo entre fevereiro e junho. Encontraram um aumento global de 69% nos pedidos. Na Europa, certos países como a Finlândia ou a Polónia registaram um aumento quadruplicado nas pesquisas, enquanto o número de pedidos mais do que duplicou na Alemanha, Áustria e Suíça (ver gráfico abaixo para uma visão geral) e aumentou substancialmente em outros países.
Para os ciclistas que optam por utilizar os sistemas de bike-sharing, o Google introduziu também uma nova funcionalidade no Google Maps, que integra esquemas de partilha de bicicletas acopladas no planeamento de rotas A-to-B em 10 cidades de todo o mundo.
O Google esforça-se por apoiar a crescente popularidade do ciclismo, fornecendo aos cidadãos indicações seguras e dados mais precisos sobre as ciclovias.
Se tiver dados de ciclovias que gostaria que fossem replicados no Google Maps, pode carregá-los em alguns passos simples através da sua Ferramenta de Carregamento de Dados Geo. Dicas de formatação de dados e exemplos podem ser encontrados na página de diretrizes de conteúdo de dados.
 

 
 

 
  • O fornecedor global de aplicações desportivas Strava também analisou os seus dados de ciclismo e encontrou aumentos substanciais nas cidades europeias: as viagens ciclísticas registadas na aplicação Strava aumentaram 56% em Berlim, em abril de 2020, em comparação com abril de 2019; 82% em Barcelona entre junho de 2019 e junho de 2020; 119% em Londres entre maio de 2019 e maio de 2020; e 222% em Liverpool durante o mesmo período.
Enquanto a aplicação, pela sua natureza, se concentra no ciclismo desportivo e de lazer, segundo Strava, também recolhe cada vez mais informações sobre viagens pendulares nas cidades. A empresa tornou agora o acesso à sua base de dados do Strava Metro, com conjuntos de dados globais sobre ciclismo e caminhadas, gratuito a organizações qualificadas em todo o mundo que estão a trabalhar para melhorar a mobilidade ativa.
 
  • Em França, os níveis de ciclismo após o encerramento da Primavera foram acompanhados de perto através do sistema nacional de contadores automáticos que entregam dados à plataforma nacional de contagem. De acordo com os últimos dados de 14 de outubro, os níveis globais de ciclismo aumentaram 27% entre o final do encerramento até ao momento, em comparação com o mesmo período em 2019. O aumento é particularmente grande durante os fins-de-semana (+32%) e nas áreas urbanas (+31%).
 
  • Na Alemanha, a edição deste ano do "Monitor da Mobilidade", um inquérito anual representativo a nível nacional, encontrou mudanças significativas no comportamento de mobilidade devido à crise de saúde da COVID-19. Enquanto 32% dos inquiridos declararam que estão a pedalar mais devido à crise, 29% declararam que estão a utilizar menos o seu carro. Além disso, 27% disseram que queriam continuar a pedalar mais também depois da crise terminar, enquanto 14% afirmaram que vão utilizar menos o seu carro também no futuro. Isto mostra que as atuais alterações nas preferências podem ter um grande impacto no futuro, e que o planeamento do transporte deveria ser ajustado em conformidade, por exemplo, tornando permanente a infraestrutura temporária de ciclismo a fim de absorver a procura adicional também a médio e longo prazo.
 
 
Especialmente o último exemplo mostra que o aumento do número de ciclistas nas estradas da Europa pode ser um gamechanger para os investimentos públicos. Juntamente com os seus parceiros na indústria do ciclismo, a ECF está a trabalhar arduamente para disponibilizar mais dados aos decisores e assegurar que tanto o Mecanismo de Recuperação e Resiliência como o próximo Quadro Financeiro Plurianual incluirão fundos, substancialmente, aumentados e darão à bicicleta um impulso duradouro em todo o continente.

Por Holger Haubold
29 Oct, 2020